transferir (8)Toda a minha vida lutei contra o excesso de peso. Toda a vida ouvi comentários sobre ser linda, mas um bocadinho rechonchuda (não sei o que era pior para a minha autoestima).

Há uns anos comecei a ganhar consciência de que quando ando mais stressada, quando tenho problemas mais sérios na minha vida, quando me esqueço de mim mesma, ganho peso. Às vezes por comer mal escondendo as minhas emoções comendo coisas que me fazem mal, outras por não conseguir comer de todo.

Percebi que o meu bem-estar físico está directamente ligado ao meu bem-estar emocional e que este é dono e senhor do meu auto-cuidado.

Eu tenho trabalhado as minhas emoções e o meu peso revelou-se o último grande desafio. Já há muito que não faço dietas, mas tento descobrir o que me faz bem, aquilo a que o corpo responde melhor e quando me sinto emocionalmente instável olho para o que me faz falta e deixei de preencher os vazios com a comida.

O trabalho emocional é a fonte do nosso auto-cuidado que todas merecemos!

No livro “Tudo está bem” de Louise Hay e Dra. Mona Lisa Schulz encontramos alguns fundamentos interessantes para aquilo que eu intuitivamente senti.

O que elas chamam de Terceiro Centro Emocional é composto pelo sistema digestivo, problemas de peso glândulas suprarrenais, pâncreas e dependência.

A saúde deste centro emocional está relacionado com o nosso sentido de identidade e o modo como aprendemos a valorizar-nos e a promover a nossa autoestima. As pessoas que têm problemas relacionados com este centro emocional podem ser:

  • Aquelas cuja identidade se define pelas necessidades dos outros.
  • As que se definem pela sua identidade na carreira profissional.
  • As que se desapegam da definção de ego invocando o auxílio de um poder superior a si. E/OU
  • As que evitam analisar-se e refletir sobre si mesmas e o que se passa no mais profundo do seu ser, distraindo-se com tudo.

4751Sugerem que a melhor forma de manter a saúde nestas áreas é desenvolver um forte sentido de identidade, cultivar a autoestima e encontrar um equilíbrio entre o tempo que dedica aos outros e no seu auto-cuidado.

Quem não o fizer poderá sofrer de náuseas, azia, úlceras, obstipação (conheço pouquíssimas mulheres que não sofrem desta), diarreia, colite ou problemas renais. Poderá também ter dificuldade em controlar o peso, aceitar a sua autoimagem ou desenvolver dependências (e existem imensos tipos de dependências, incluindo de pessoas!).

Mais uma vez, tal como escrevi no artigo O Poder da Mente sobre o Corpo, é apenas a forma como o corpo comunica connosco aquilo que precisamos de alterar no nosso comportamento e pensamento.

Todas nós temos direito a sentir-nos melhor connosco mesmas. Só assim tornaremos o mundo melhor.

image(3)

Poderá também continuar a ler sobre este Centro Emocional nos próximos artigos. Para não se esquecer, pode subscrever a minha newsletter aqui e receberá todos os artigos no final de serem publicados.

Se tem algum problema neste centro emocional, sugiro que consulte este curso online prestes a começar.

X