Podes ler a 1ª parte aqui

Até os heróis têm momentos sombrios. Nesses dá-te o direito de contactar a tua Sombra para reconheceres o que ainda há em ti que te impede de aproveitar as oportunidades que a Vida te traz todos os dias. A estes momentos gosto de chamar “desafios”, já que esta palavra me inspira superação e libertação.

É nas alturas de maior desafio que o ser humano quebra barreiras, ultrapassa limites tantas vezes autoimpostos com pensamentos como “não consigo”, “sempre fui assim”, “foi assim que fui criad@”, “a vida fez-me assim”…

Na verdade, é nos maiores desafios que conhecemos a nossa verdadeira natureza e descobrimos novas capacidades e qualidades do nosso ser. Eu não creio que os desafios sejam “testes da vida” para nos derrotar, testar ou ver se somos suficientemente bons (isso a Vida sabe que somos, apesar de muitos não aceitarem que o são). A vida “cutuca-nos” para abrirmos o nosso coração e a nossa mente para novas direcções, perspectivas, oportunidades e aspetos de nós mesmos.

Ao estarmos mais conscientes e presentes na Vida a duração e intensidade dos desafios ajustam-se à nossa vibração e consciência. Não quer dizer que deixemos de os ter, mas a intensidade que neles colocamos é diferente, logo o resultado será também diferente.

superac3a7c3a3oAquilo a que chamam “testes da vida” para mim são oportunidades que são aproveitadas consoante nós as percepcionamos (teste ou oportunidade?) e nos percepcionamos a nós mesmos (“não sou capaz” ou “sim, eu consigo”?).

Independentemente do aconselhamento, ensinamentos passados e actuais, da educação, inteligência ou da nossa vontade para mudar a direção da nossa vida, as nossas reacções e respostas são quase sempre automáticas, reflexas e inconscientes. São poucas as vezes em que paramos para refletirmos, consciencializarmo-nos sobre a nossa situação actual e agirmos com a consciência do que são os nossos mais altos valores e propósito de Vida.

Algumas destas oportunidades fazem-nos mergulhar em lugares muito sombrios. É exactamente nesses momentos mais “negros” que se revela a maior Luz. Muitas vezes espelhada no outro que partilha comigo a vida, quem quer que seja, companheir@, mãe, pai, amigo, patrão, colega…

Alguns de nós percebem a tempo a mensagem da Vida e pedem ajuda, mas muitos precisam de chegar ao limite das suas forças e esgotarem-se para perceberem que não é possível seguir sozinho. Nas alturas em que nos fragilizamos é que (re)aprendemos que a vida vivida “a mais do que um” é muito mais rica e completa. É quando conhecemos o lado mais belo do ser humano, mais verdadeiro na partilha de lágrimas e de risos.

Por vezes, precisamos de ajuda para vermos a Verdade em nós, mas o Caminho é nosso e também é nosso o caminhar. Só em ti está a resposta para a superação.

Podes ler a 3ª parte aqui

X