Partilho esta mensagem magnífica da fantástica Hay Teacher Mafalda Toscano Rico, com autorização dela.
Se este testemunho puder ajudar uma pessoa que seja, já terá valido a pena.

“Uma partilha, do meu coração para o vosso:
Há alguns meses atrás foi-me diagnosticado um cancro de mama (pela segunda vez, no mesmo lado).
Da primeira vez, em 2000, tinha feito uma cirurgia conservadora (não tirei tudo) e tive de fazer quimioterapia, radioterapia, enfim… tudo o que era necessário.


Comecei a perceber que o meu corpo estava a “falar” comigo, e literalmente a “obrigar-me” a fazer uma introspecção séria sobre muita coisa na minha vida: o que é que estou aqui a fazer, qual o meu propósito de vida, o que é que não está a correr bem e preciso de mudar, o que é que o meu corpo físico precisa e eu não lhe estou a dar (e o contrário também), enfim…


Iniciei um caminho mais profundo para dentro de mim, percebi que não tinha muita auto-estima, que não tinha sonhos, que não estava a fazer tudo o que a minha Alma me pedia. Mas abri-me à mudança. Recebi muitas ajudas, um enorme apoio e Amor da minha família (a quem estou infinitamente grata), e de outras pessoas que fui conhecendo, livros inspiradores que fui lendo, e que me ajudaram a conhecer-me melhor e a amar-me mais.


Em 2006 conheci o Método Louise Hay e, com a ajuda preciosa da Vera Faria Leal, aprendi e pratiquei os princípios básicos, com todas as minhas forças, mergulhando cada vez mais fundo no conhecimento de quem eu Sou. (NOTA: há muitos outros métodos; este foi o que me cativou, pela sua simplicidade, e que tocou o meu coração; o que é importante é que cada um encontre aquilo que mais tem a ver consigo). Mas continuei a aprender e a aprofundar o meu conhecimento, com outras abordagens que encontrei pelo caminho. Conheci e continuo a conhecer pessoas maravilhosas, com quem tenho aprendido e partilhado as experiências de vida.


Hoje sei que esse é um caminho que não acaba nunca, porque cada um de nós é um verdadeiro tesouro, um Ser único, complexo e completo e difícil de conhecer (eu disse difícil, não impossível). Somos os dois lados da moeda, e não adianta negar. E há que reconhecer isso, para depois podermos fazer as nossas escolhas.


Acredito que todos os nossos problemas físicos têm origem no nosso corpo emocional, e foi por isso que, assim que soube que o cancro tinha voltado a aparecer, imediatamente deitei mãos à obra, no sentido de perceber o que é que o meu corpo me estava a querer dizer, novamente. Desta vez, com as ferramentas que fui ganhando ao longo destes anos de trabalho interno, e com a ajuda da minha terapeuta, Mª João, que me ajudou a descer ainda mais fundo na complexidade de quem Eu Sou, consegui descobrir o que é que precisava de mudar na minha vida. Mudanças difíceis e dolorosas, mas que precisavam de ser feitas. E fiz! E é espantoso como tudo se movimenta na completa harmonia, à nossa volta, quando conseguimos fazer as mudanças que a nossa Alma nos pede que façamos.


Fui operada em Dezembro passado, e ontem tive a feliz notícia de que não vou ter de fazer quimioterapia, desta vez 🙂 !!!!
Sinto-me aliviada, mas sobretudo grata e feliz, por ter sido fiel a mim própria, por ter entendido os sinais e feito o que precisava de fazer.


Amo a Vida! É um bem que não tem preço. E a vida pode ser doce, apesar de todos os desafios. Que se desengane quem pensar que trilhar o caminho do auto-conhecimento nos torna imunes aos desafios da vida… ele dá-nos, isso sim, ferramentas preciosas e sabedoria para entender os sinais e agir, se o escolhermos fazer. É só isso que tenho feito. Cada desafio é, para mim, uma grande oportunidade de crescer.


Não posso deixar de manifestar a minha gratidão a Deus, ao meu companheiro de Alma, Paulo, aos meus filhos, ao pai dos meus filhos, aos meus irmãos, à minha querida Mãe e ao meu querido Pai, que agora se tornou um dos meus Anjos protectores, e que esteve todo o tempo comigo ontem, enquanto esperava pela consulta de decisão no IPO. A toda a minha família (de sangue e de Alma), aos todos os meus amigos, ao meu querido primo e médico que me operou e a todos os profissionais do IPO, aos meus colegas de trabalho e a todos os corações com quem tenho partilhado a minha experiência de vida, a minha gratidão!


Mafalda Toscano Rico” – 22/02/2013


O que a Mafalda diz é bem verdade “Que se desengane quem pensar que trilhar o caminho do auto-conhecimento nos torna imunes aos desafios da vida… ele dá-nos, isso sim, ferramentas preciosas e sabedoria para entender os sinais e agir, se o escolhermos fazer”.

Eu digo que nunca percorremos o caminho todo até chegarmos ao fim. Continuamos sempre a ter desafios (e não sei até que ponto não são maiores) exactamente por estarmos no caminho do auto-conhecimento. 


Não será isso aquilo a que chamamos Vida? Uma contínua viagem dentro de nós mesmos?

X