Há uns dias comecei o meu Diário de Gratidão.
Todos os dias, a última coisa que faço (qualquer que seja o nível de sono) é escrever uma página, pelo menos, de motivos pelos quais estou grata.

Mesmo nos dias menos mais desafiantes tenho sempre imenso para agradecer.
Começo por agradecer à Vida sempre e a partir daí é fácil encontrar motivos pelos quais estou grata (por respirar, pela minha cama, pelos meus afectos, pelas pessoas, pelos momentos que tive ao longo do dia). E termino sempre a agradecer à Vida também.

O objectivo inicial era criar um registo de momentos importantes na minha vida.
O espantoso resultado tem sido ganhar uma grata consciência, todos os dias, sobre pequenos e “insignificantes” momentos. Torna-se fácil agradecer até os desafios, já que fico muito grata por ter as capacidades para os ultrapassar e por aprender com eles.

Este ritual tem criado em mim uma energia absolutamente maravilhosa. É mágico ir dormir com a certeza de que a Vida é muito mais generosa connosco do que nos parece, que a Vida nunca desiste de nós (ao contrário do que muitas vezes fazemos a nós mesmos), de que temos tudo em nós para Viver Bem.

É mesmo mágico.
Este será um ritual para manter por muito tempo.

Cláudia Félix Rodrigues (Mitang Orube)

X