Para nos ligarmos áquilo que realmente somos, a vida traz-nos situações que nos convidam a uma viagem ao nosso lado escuro. Às feridas que não estão saradas. Para depois regressarmos a Casa, mais conscientes, mais nós, mais inteiros e mais presentes!

Essas viagens são, por vezes, muito longas e dependem muito de quanto resistes ou te entregas à aprendizagem e ao confronto com a tua verdadeira essência.

images (1)Frequentemente não aceitamos a vida como ela se apresenta. Lutamos contra ela, rejeitamos, maldizemos e ignoramos as fantásticas janelas de oportunidade abertas para nós. Gastamos a nossa energia nessa batalha, morrendo lentamente e afastando-nos de nós mesmos.

Quando nos apercebemos, a Vida seguiu o seu rumo e continuou exatamente da forma que tinha que ser. Sentimo-nos derrotados, perdidos e sem tempo, sem chão, sem Alma, quase em respiração assistida.

A lição costuma ser simples, mas nós resistimos-lhe porque não queremos colocar em causa tudo o que fizemos e temos até agora, esquecendo-nos de honrar quem somos AGORA e de quem queremos ser.

Adiar olharmos para o que precisa de cura na nossa vida só prolonga o nosso processo de dor. Muitas vezes não o fazemos porque temos medo de perder o que quer que tenhamos agora porque o desconhecido é muito mais assustador. Só que quanto mais medo temos, mais atraímos a perda, que é uma forma da Vida nos recolocar no caminho da nossa Alma.

É importante que olhes as tuas perdas, que reconheças que partes de ti perdeste pelo Caminho para as poderes resgatar e abraçar. Ouve aquela voz que sussurra dentro de ti (ou será que já grita?) por um novo ar, para respirar por si. E pergunta-te como podes resgatar-te para viver uma Vida com mais Paixão, Alegria, Leveza e Amor. Especialmente por ti!

X