Nos últimos tempos, tenho ouvido as pessoas queixarem-se de estarem insatisfeitas. Parece que mesmo as que têm os bens e a família com que sempre sonharam se sentem insatisfeitas. Também há as que não têm nada do que querem ou que nunca conseguem alcançar o que querem ou pouco conseguem alcançar.

Isto fez-me pensar sobre o papel da insatisfação nas nossas vidas. Pessoalmente vejo a insatisfação como motor para ir atrás do que quero. É a insatisfação que me faz sair da minha zona de conforto e procurar o que quero, que me faz perceber que posso e mereço mais.

Não deixo, no entanto, que a insatisfação me impeça de apreciar o que sou e tenho agora.

Nem aceito que tudo o que sou e tenho é fruto do acaso, do destino ou o que seja. A minha vida é resultado dos meus pensamentos, das minhas emoções, dos meus desejos, das minhas escolhas e das minhas acções e não-acções.

Nem tudo está como eu quero, mas é exactamente isso que me faz avançar para algo melhor. Até porque hoje quero para a minha vida coisas (bem) diferentes do que queria há um ano, por exemplo. Acima de tudo, recuso-me a pensar que não tenho o poder de mudar a minha vida actual.

Se há algo na minha vida que não me agrada, pergunto-me:

  • O que fiz eu para chegar aqui? Ou o que não fiz?
  • Que voz existe dentro de mim que me impede de ser mais do que sou?
  • Será que eu acredito que o que me define como pessoa são as coisas que tenho, o que os outros pensam de mim? Ou são os meus valores, o meu interior, o que penso de mim mesma?
  • O que permito que ainda exista na minha vida que me bloqueia, que me impede de ser a pessoa que posso ser?
  • E se “tudo” está mal, vou baixar os braços?
Sei que muitas pessoas estão a ler isto e a pensar “se tu soubesses os problemas que eu tenho…”.

Claro que não sei. E ainda digo mais: não tenho que saber. Porque se eu soubesse, tal como os seus amigos e familiares, até era capaz de lhe dar umas quantas soluções (afinal eu estou de fora, não estou ligada emocionalmente às situações e não tenho nada a perder), mas que não seriam as SUAS soluções para a SUA vida.

Independentemente dos nossos problemas e limitações (reais ou não), todos nós, todos, todos, todos somos seres maravilhosos, fortes, capazes e criativos. E porque você também é assim, as suas soluções são as melhores para si.

E de onde vêm as suas soluções? Do seu Coração em equilíbrio com a sua mente.

Pergunte-se “O que quero para mim?” E oiça, sinta o seu Coração. Aquele impulso interior feliz e ousado que nos faz sonhar. É a sua Alma a falar. E a Alma quer sempre muito mais do que nós pensamos ser capazes ou merecedores. Por isso, não descarte nada do que o seu Coração quer. Aceite. Simplesmente aceite sonhar.

Até pode parecer um sonho (ou sonhos) impossível de concretizar. Talvez não agora, já a correr. Mas isso não quer dizer que tenha que desistir dos sonhos da sua Alma. De todo!! Crie as condições para a concretização dos seus sonhos!

Em vez de se perguntar “Será que o meu Coração está certo?”, ou de dizer “Não conseguirei isto nunca.” pergunte-se antes “Como é que posso alcançar o que o meu Coração quer?”.

Ou seja, não questione o impulso do seu Coração, mas use a mente, a razão para ter um plano com a melhor forma de seguir esse impulso. Pode ser um plano a curto, médio ou a longo prazo. Mas não desista. Siga os seus sonhos, mesmo os mais ousados!

Faça uma lista do que quer. Adoro fazer listas de sonhos! As listas ajudam a trazer para a matéria o seu sonho. Escreva nessa lista coisas concretas.

“Ser feliz” é vago, muito vago. Todos queremos ser felizes, mas como é isso de ser feliz? O que é preciso para sermos felizes? Para uns pode ser ter uma casa, para outros ter um filho, para outros um trabalho que gostem. Como há pessoas que gostam de ser ousadas nos sonhos (e ainda bem!!) ser feliz é ter uma casa, um filho e um emprego que gostem Mas como é a casa? Que emprego é esse? E o filho é para já, será só um filho?

O que quer concretamente? Escreva, detalhe os seus sonhos!

Depois meta mãos à obra. Comece a dar pequenos ou grandes passos. Não fique à espera de uma varinha mágica. Você faz parte do seu sonho! Envolva-se na manifestação do seu sonho!

Como estamos em constante mudança, lembre-se de se ir ligando ao seu Coração. Pode ser necessário fazer algumas adaptações.

No fundo, o que lhe estou a dizer é que a sua insatisfação não tem que ser uma “cruz”, mas pode ser um propulsor para uma vida melhor.
Ligue-se ao seu coração para sentir o que a sua Alma quer. A seguir use a mente para saber qual poderá ser o caminho até essa meta. E aja até manifestar os seus sonhos.

E deixe a Vida fluir. Aproveite, usufrua do caminho.

X